sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Interpretação

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO



1. Leia o texto e responda à questão:

Num tribunal, a testemunha afirmou:
- Eu vi o desmoronamento do barracão.
O juiz ficou em dúvida quanto às hipóteses:

1. A testemunha viu o barracão desmoronar.
2. A testemunha estava no barracão e de lá viu um desmoronamento. Este fenômeno é chamado de:


a. Ambigüidade
b. Pleonasmo
c. Cacofonia
d. Silepse
e. Redundância


PARQUES EM CHAMAS


Saudados por ecologistas como arcas de Noé para o futuro, por serem repositórios de espécies animais e vegetais em extinção acelerada noutras áreas do país, alguns dos 25 parques nacionais do Brasil tiveram, na semana passada, a sua paisagem mutilada pelo fogo. A rigorosa estiagem que acompanha o inverno no Centro-Sul ressecou a vegetação e abriu caminho para que as chamas tragassem 6 dos 33 quilômetros quadrados do Parque Nacional da Tijuca, pegado à cidade do Rio de Janeiro, e convertessem em carvão 10% dos 300 quilômetros quadrados do Parque Nacional do Itatiaia, na divisa de Minas Gerais com o Estado Do Rio de Janeiro. Contido pelos bombeiros já no fim de semana, na Tijuca, e abafado por uma providencial chuva no Itatiaia, na quarta-feira, o fogo pipocou em outro extremo do país. Naquele dia , o incêndio começou no Parque da Serra da Capivara, no sertão do Piauí, calcinado h´[a seis anos pela seca, e avançou pela caatinga, que esconde as pinturas rupestres inscritas na rocha, há pelo menos 31.500 anos, pelo homem brasileiro pré-histórico.

O autor justifica o fato de os ecologistas referirem-se aos parques nacionais como “arcas de Noé para o futuro” da seguinte maneira:

a) Porque são áreas preservadas da caça e pesca indiscriminadas;
b) Porque ocupam espaços administrativamente delimitados pelo o Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Florestal;
c) Porque espécies animais e vegetais que estão se extinguindo em outras regiões têm preservada sua sobrevivência nesses parques;
d) Porque há agentes florestais incumbidos de zelar pelos animais e vegetais dos parques;
e) Porque nesses parques colecionam-se casais de espécies animais e vegetais em extinção noutras áreas.

2. A respeito dos incêndios referidos pelo autor, depreende-se do texto que:

a) Embora tivessem ameaçado espécies animais e vegetais raras, apresentaram um lado positivo: aumentaram a produção de carvão;
b) Foram provocados pela rigorosa estiagem do inverno, no Centro-Sul, e pela seca prolongada no sertão nordestino;
c) Não foram debelados por providenciais chuvas que eventualmente vieram a cair sobre os parques;
d) Não foram combatidos com presteza e eficiência pelos bombeiros;
e) Destruíram parte da flora e fauna das reservas, desfigurando sua paisagem.

3. Depreende-se que o autor do texto, em relação ao fato descrito, manifesta:

a) Descaso;
b) Hesitação;
c) Desesperança;
d) Pesar;
e) Indiferença;

4. Aponte a única conclusão que é estrita e licitamente deduzível do texto:

a) As chamas serviram para mostrar a precária situação dos parques brasileiros;
b) Devem ser tomadas providências para dotar os parques de meios para se protegerem dos incêndios;
c) Devem ser desencadeadas campanhas para conscientizar a população de como evitar incêndio nos parques;
d) Parte da culpa dos incêndios cabe às autoridades responsáveis pelas reservas e parques;
e) O incêndio no Parque da Serra da Capivara ameaçou valioso patrimônio histórico e antropológico.





Grupo

5 comentários:

Ihasmyn Melo disse...

Gostaria das respostas ;)

Zaqueu Henrique dos Santos disse...

Olá

O vídeo abaixo mostra a professora Rafaela Motta explicando esse texto e respondendo as mesmas questões

espero ter ajudado
link: http://www.youtube.com/watch?v=SwJVVBVONPI

Anônimo disse...

1° Letra C
2° Letra E
3° Letra D
4° Letra B

Muito fácil isso! questão de compreensão e interpretação de texto..
Abraço até mais!

Jota Pê disse...

O autor do texto,meio e data de publicação, alguémm sabe?

Doraci S Rodrigues disse...

A publicação deste texto saiu na revista (ISTO É,22/8/1984)
Fica a dica#GorditaPreciosa